Monthly Archives: março 2017

Enfim, Maragogi conta com um terminal do Banco24Horas
   Severino  Carvalho  │     23 de março de 2017   │     19:46  │  0

Técnicos instalam equipamento (Foto: cortesia)

Técnicos instalam equipamento (Foto: cortesia)

Nesses 14 anos de jornalismo aqui na Costa dos Corais, eu ouvi duas perguntas que sempre ficavam sem respostas.

A primeira delas: Quando o aeroporto de Maragogi será construído?

A segunda: Quando Maragogi contará com um caixa do Banco24Horas?

Parece hilário, mas não é …

Para a primeira indagação, ainda não se tem uma resposta precisa. Embora já existam recursos destinados à construção, não se sabe quando a obra será iniciada e concluída, exatamente.

Mas, para a segunda pergunta já a temos. Técnicos instalaram, nesta quinta-feira (23), um caixa-eletrônico do Banco24Horas, administrado pela empresa TecBan, no Auto Café, loja de conveniência do Posto Ipiranga, à margem da AL-101.

Segundo os técnicos, o caixa de autoatendimento deve entrar em funcionamento até a próxima segunda-feira (27). Estará disponível das 6 h às 21 horas, de segunda a domingo, horário em que o estabelecimento fica aberto ao público.

Durante a temporada de verão, o horário se estenderá até as 22 horas.

Embora não permaneça ativo 24 horas, como sugere, a máquina possibilitará que correntistas de 35 bancos e instituições financeiras conveniadas tenham acesso aos serviços destas empresas.

Nesses 14 anos, Maragogi avançou bastante na oferta de serviços bancários à população. Só possuía o Banco do Brasil (BB) e agora já dispõe das agências do Bradesco, da Caixa Econômica Federal (CEF) e do Banco do Nordeste do Brasil (BNB).

Com o caixa-eletrônico do Banco24Horas, o leque de opções aumenta significativamente.

Comparar a instalação de um simples caixa de autoatendimento com a construção de um aeroporto pode até parecer descabido aos leitores que não residem em Maragogi.

Entretanto, os inúmeros pedidos, que se arrastaram durante todos esses anos, demonstram a dificuldade que foi conseguir este prosaico equipamento, tão útil nas cidades turísticas.

Inúmeras vezes, o trade, através do Costa dos Corais Convention e Visitors Bureau (CCC&VB) tentou convencer a empresa que administra o serviço sobre a importância da instalação do equipamento por aqui.

Argumentos não faltavam: segundo maior polo hoteleiro de Alagoas, terceiro destino doméstico mais procurado do Brasil, economia de vento em popa …

Mas, como resposta, sempre ouvia a mesma argumentação: Não existia viabilidade econômica para instalá-lo por aqui.

Pelo visto, a situação mudou e pra melhor. O fato é que o equipamento foi instalado, um serviço que vai gerar benefícios não só aos turistas, como também aos próprios moradores e empresários locais.

“Sem dúvidas, era um desejo antigo de toda a comunidade e, principalmente dos empresários e dos turistas que aqui chegam”, disse o corretor de imóveis Elanjane Fidélis.

“Ouvi muitos turistas dizerem que não voltariam mais a Maragogi porque não tinham acesso a seus bancos, a suas contas”, disse uma das funcionárias do Posto.

Ela recordou o dia em que um ator global, hospedado em Japaratinga, chegou ao estabelecimento em busca do serviço. O banco dele não possuía agência em nenhuma cidade do Litoral Norte de Alagoas.

“Ele ficou decepcionado e disse ser constrangedor Maragogi – uma cidade turística – não ter um Banco24Horas”, revelou a funcionária.

O empresário Mário Vasconcelos, proprietário do posto, venceu pelo cansaço.

“Desde 2009 que nós tentávamos trazer o equipamento. Argumentava que Maragogi era uma cidade turística, de grande fluxo de pessoas, mas não tinha jeito. Cheguei até a apelar aos bancos parceiros. Tentei de tudo e não conseguia. Agora, enfim, conseguimos!”, comemora Mário Vasconcelos.

O Blog tentou falar com a assessoria da TecBan; não conseguiu. No último contato que este jornalista fez com a empresa, em janeiro do ano passado, recebeu a seguinte resposta, ao indagar quando seria instalado o Banco24Horas em Maragogi:

“A TecBan – Tecnologia Bancária S. A – informa que o Banco24Horas está presente em todo o país, com mais de 18.500 caixas eletrônicos. O plano de expansão da Rede prevê que até 2020 serão 30.000 terminais de autoatendimento no Brasil. Em Maragogi, a instalação de um Banco24Horas está prevista para o próximo ano (2017). O estado de Alagoas conta com 211 caixas eletrônicos”.

E pra não perder a “piada”, quando perguntarem onde tem um caixa-eletrônico do Banco24Horas em Maragogi, você já sabe a resposta: Passa lá no …

>Link  

Assentamento e Ifal trabalham para formatar Trilha da Imbiriba em Maragogi
   Severino  Carvalho  │     22 de março de 2017   │     15:26  │  0

Trilha da Imbiriba tem cerca de 3 km de extensão (Fotos: Ifal)

Trilha da Imbiriba tem cerca de 3 km de extensão (Fotos: Ifal)

Moradores do Assentamento Nova Jerusalém, em parceria com o Campus Maragogi do Instituto Federal de Alagoas (IFAL), estão viabilizando a formatação da Trilha da Imbiriba dentro de um remanescente de mata atlântica do Assentamento Nova Jerusalém, pertencente ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

O produto turístico de base comunitária (Tirlha da Imbiriba) será desenvolvido por meio do programa institucional “Minha Comunidade” executado pelos Campi do Ifal em benefício das localidades do entorno.

“Nós precisamos deixar de viver exclusivamente das Galés”, alertou o diretor do Campus Maragogi, Dácio Camerino, ao se referir às piscinas naturais, formações recifais a cerca de 6 km da costa, que são os principais atrativos turísticos de Maragogi.

“O turista gosta também de conhecer a Mata Atlântica. Com isso, queremos gerar renda aos assentados da reforma agrária, através do turismo comunitário”, completou o diretor.

Durante a II Feira Cultural e Agroecológica do IFAL Maragogi, que aconteceu nos dias 16, 17 e 18 de março, os participantes puderam conhecer a Trilha da Imbiriba, que possui cerca de 3 km de extensão e está em processo de formatação na área de reserva natural do Assentamento Nova Jerusalém.

“Professores e alunos dos cursos de Agroecologia e Hospedagem viram de perto que o projeto de construção da Trilha possui viabilidade. O IFAL participa desse processo como articulador, buscando parceiros como o Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural). A ideia é ofertar aos assentados o curso de formação de condutor de trilha, que pode ser ministrado em nossas instalações”, explicou a professora do curso de Hospedagem, Lívia Pinheiro.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A trilha realizada no dia 18 de março ocorreu de forma experimental, tendo em vista que ainda não foi aberta ao público. Participaram estudantes, professores, moradores do assentamento, representantes da prefeitura e do trade turístico local.

Os trilheiros passaram por uma Imbiriba, árvore de aproximadamente 200 anos de existência; pela Lagoa Encantada, incrustada no meio da reserva de mata atlântica, e puderam ter uma vista panorâmica do litoral de São José da Coroa Grande (PE) e de Maragogi. Foi possível também vislumbrar as instalações do Campus Ifal, construído em terras do Assentamento Nova Jerusalém, distrito de Peroba.

Tags:

>Link  

Costa dos Corais é a 7ª Unidade de Conservação mais visitada do Brasil
   Severino  Carvalho  │     6 de março de 2017   │     15:04  │  0

Estudo

Em fevereiro, foram concluídos os estudos para o ordenamento do turismo náutico em Porto de Pedras e São Miguel dos Milagres (Fotos: ICMBio)

A Área de Proteção Ambiental (APA) Costa dos Corais foi a sétima Unidade de Conservação (UC) federal mais visitada do País em 2016. Estendendo-se por cerca de 120 km entre os litorais Norte de Alagoas e Sul de Pernambuco, a APA Costa dos Corais recebeu, no ano passado, 235.030 visitantes.

“O ranking mostra a importância da APA Costa dos Corais em âmbito nacional. Ainda temos que considerar que este número se refere apenas às zonas de visitação regulamentadas (piscinas naturais). Se considerarmos as zonas que estão em processo de ordenamento e os visitantes que vão às praias, onde não é possível realizar a contagem, estes números sobem ainda mais”, declarou o chefe da UC marinha, Iran Normande.

Ele é analista ambiental do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão federal responsável diretamente pela gestão da UC.

O balanço da visitação nas unidades de conservação (UCs) federais em 2016 foi divulgado no mês passado pelo ICMBio. No geral, os números indicam uma leve alta em relação a 2015, passando de 8,07 milhões para 8,29 milhões.

A APA Costa dos Corais apareceu pela primeira vez no ranking em 2013, ano em que entrou em vigor o plano de manejo da UC, quando registrou a visita de 133.792 pessoas. Em comparação com 2016, houve um crescimento de mais de 56,9% do número de visitantes.

Para Normande, o desafio da gestão da APA Costa dos Corais agora é garantir que toda esta visitação gere o mínimo de impacto possível ao meio ambiente – sobretudo aos recifes de coral que formam as piscinas naturais – e que seja realizada sob a ótica da sustentabilidade e responsabilidade social.

Na atualidade, estão regulamentadas as piscinas naturais de Maragogi (Taocas, Galés e Barra Grande), Japaratinga e Paripueira, todas em Alagoas.

As próximas a serem regulamentadas, ainda este ano, são as piscinas naturais de São Miguel dos Milagres e Porto de Pedras, em Alagoas, e de São José da Coroa Grande (PE).

“Estamos num esforço para regulamentar todas as áreas onde ocorre o turismo dentro da APA Costa dos Corais”, afirmou o chefe da UC.

Na primeira semana de fevereiro, foram concluídos os estudos para o ordenamento do turismo náutico em Porto de Pedras e São Miguel dos Milagres, onde o turismo de base comunitária será priorizado.

“Em breve, faremos as oficinas para definição das áreas”, informou Normande. Participaram dos estudos integrantes do Instituto BiomaBrasil, da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Projeto Conservação Recifal e do Instituto Yandê.

Saiba mais

APA Costa dos Corais

APA tem 185 espécies de peixes registradas e dez de corais

Gigante pela própria natureza, a APA Costa dos Corais é a maior Unidade de Conservação marinha do Brasil. Criada em 1997, abrange mais de 400 mil hectares, abraçando 120 km de praias, manguezais, rios e restingas.

Guarda em seus mares, num gradiente de cores de infinita beleza, 185 espécies de peixes registradas e dez de corais, sendo sete endêmicas. Nela, vivem, em berço esplêndido, animais ameaçados de extinção como o mero, as tartarugas-marinhas e o peixe-boi.

É da APA Costa dos Corais que comunidades tradicionais de pescadores tiram seu sustento, em 14 municípios, do Litoral Norte de Alagoas ao Sul de Pernambuco. Integra e congraça com graça os dois Estados. Generosa, a Unidade de Conservação oferece, ainda, piscinas naturais em uma mar de águas claras, calmas e termais aos que aqui chegam em busca de descanso e lazer.

Parque da Tijuca lidera

Formações recifais formam piscinas naturais

Formações recifais formam piscinas naturais

O Parque Nacional da Tijuca, no Rio de Janeiro, continua sendo a Unidade de Conservação (UC) mais visitada do Brasil, conforme o balanço divulgado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). O Parque recebeu 2.720.517 pessoas em 2016.

Em seguida, vêm os parques nacionais do Iguaçu, no Paraná (1.560.792); de Jericoacoara, no Ceará (780 mil); e de Fernando de Noronha, em Pernambuco (389 mil).

Uma das novidades é a Reserva Extrativista Marinha Arraial do Cabo, no litoral do Rio de Janeiro, que iniciou, no último ano, de acordo com o ICMBio, um esforço de monitoramento do número de visitantes e passou a figurar na lista das UCs mais frequentadas, na quinta posição, com 382.647 visitantes.

Segundo o Instituto Chico Mendes, os bons resultados do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha devem-se, também, a melhorias nos seus protocolos de monitoramento dos turistas.

infografico UCs

Fonte: ICMBio

Fechando o topo da lista das UCs federais mais visitadas do País, estão o Parque Nacional de Brasília, no Distrito Federal; a Área de Proteção Ambiental (APA) Costa dos Corais; a Floresta Nacional dos Carajás, no Pará; e os parques nacionais da Serra dos Órgãos, no estado do Rio, e da Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso.

Segundo os gestores da Coordenação de Visitação do ICMBio, os resultados permitem melhor entendimento da importância das unidades de conservação como indutores do desenvolvimento econômico a partir do estímulo ao ecoturismo.

Ainda segundo eles, os dados ajudam a construir políticas mais sólidas de implementação das UCs, assim como identificar oportunidades de parcerias com a iniciativa privada e compatibilizar o desenvolvimento das atividades de visitação com os esforços de conservação da biodiversidade.

Tags:

>Link