Maragogi ganha Comitê Gestor das Águas
   Severino  Carvalho  │     20 de janeiro de 2017   │     11:36  │  0

Reunião aconteceu no Hotel Praia Dourada, em Maragogi (Foto: Severino Carvalho)

Reunião aconteceu no Hotel Praia Dourada, em Maragogi (Foto: Severino Carvalho)

O Comitê Gestor das Águas de Maragogi foi instituído, na quinta-feira (19), durante reunião realizada neste município do Litoral Norte de Alagoas. A iniciativa partiu da prefeitura municipal e conta, ainda, com representantes de órgãos federais, estaduais e da sociedade civil organizada.

O Comitê foi criado diante da crise hídrica e do colapso nos sistemas de abastecimento que atendem a cidade e os distritos de São Bento, Barra Grande e Peroba, geridos pela Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) e pelo Sistema Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), uma autarquia municipal.

“Trata-se de um Comitê que certamente fará um diagnóstico das potencialidades e das demandas. Em cima disso, fará um planejamento estratégico participativo, seja por órgãos institucionais, sejam por representantes da comunidade”, explicou o prefeito de Maragogi, Fernando Sérgio Lira (PP), que comandou a reunião realizada no Hotel Praia Dourada.

Ele explicou que o Comitê terá a missão de elaborar a “Carta das Águas”, um diagnóstico da situação hídrica de Maragogi. O documento apontará os problemas e soluções.

“A gente vai, de maneira responsável, reunir esses parceiros, fazer um desenho orçamentário e cada um dará a sua participação modulada para que se resolva a questão do abastecimento, dentro da política ambiental vigente, e ligada, também, à questão do esgotamento sanitário”, detalhou Sérgio Lira.

Participaram da reunião, além do prefeito, o vice-presidente de Gestão Operacional da Casal, Francisco Beltrão; o superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Alberto Pesado; o superintendente estadual da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) em Alagoas, Domício Silva; secretários municipais, dentre outras autoridades.

O encontro aconteceu pela manhã. À tarde, eles se reuniram com os prefeitos de municípios da região Norte do Estado, que também passam por problemas de abastecimento, a exemplo de Japaratinga, Porto Calvo, Jacuípe, Porto de Pedras e São Miguel dos Milagres.

“Esse Comitê é um Comitê das Águas de Maragogi. A intenção é agregar valor de forma regional. Nós estamos abertos a outros parceiros. Temos essa reunião com prefeitos convidados para que a gente possa integrá-los nesta ideia para uma coisa mais ampla”, destacou Sérgio Lira.

Casal

Francisco Beltrão disse que, a curto prazo, a Casal vai reforçar o abastecimento de Maragogi e de Barra Grande com a perfuração de mais um poço artesiano, que será entregue no dia 31 deste mês.

A solução a médio e longo prazos será a instalação de um sistema coletivo de captação, tratamento e distribuição de água do Riacho Cachoeira, em Maragogi, que abasteceria este município e a vizinha Japaratinga.

“Desde que Maragogi é cidade que o sistema de abastecimento é feito por meio de captação de água de poço. Isso não resolve. Com o tempo, os poços salinizam e perdem vazão. O que vai resolver mesmo é o sistema coletivo”, sentenciou Beltrão.

De acordo com ele, o projeto está pronto, orçado em R$ 25 milhões, e foi entregue aos Ministérios da Integração Nacional, Turismo e das Cidades em busca dos recursos. O entrave, segundo Beltrão, é que o governo federal deseja, inicialmente, concluir os projetos pendentes, antes de iniciar os novos.

“A ideia é buscar recursos de fontes ministeriais diversas e fazer uma única licitação”, afirmou o vice-presidente de Gestão Operacional da Casal. O sistema coletivo, segundo o prefeito, seria capaz de abastecer todo o município de Maragogi e de Japaratinga até 2030.

Para o distrito de São Bento, Sérgio Lira anunciou a perfuração de mais um poço (o quinto) pelo SAAE e a instalação de uma adutora que irá abastecer grandes consumidores industriais e hoteleiros, aliviando a rede que atende as unidades habitacionais.

“Vamos voltar o olhar também para Peroba, que está há 16 anos desassistida em termos de abastecimento. Trata-se da população que mais cresceu em Maragogi”, lembrou Sérgio Lira.

Incra

Na Zona Rural, o superintendente do Incra informou que será assinado, em breve, um termo de cooperação técnica entre a Casal, o SAAE, a Funasa e a prefeitura para a instalação de pequenos sistemas de abastecimento que beneficiarão, sobretudo, os assentamentos. Maragogi tem, hoje, 18 núcleos da reforma agrária que se subdividem em 22.

“Na próxima reunião, cuja data será definida, assinaremos o termo de cooperação técnica. Daremos, então, os primeiros passos para fazer os projetos, que serão acessíveis, baratos e atenderão a população”, disse Alberto Pesado.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *