Monthly Archives: julho 2015

Doze restaurantes participam do Festival Gastronômico da Lagosta de Maragogi
   Severino  Carvalho  │     31 de julho de 2015   │     11:56  │  0

Pratos desenvolvidos especialmente para o festival, que contará com o chef

Pratos desenvolvidos especialmente para o festival, que contará com o chef Wanderson Medeiros como padrinho (Fotos: Divulgação. Montagem: Severino Carvalho)

Setembro se aproxima e tem aroma e sabor. Do dia 2 a 27, acontece a 6ª edição do Festival Gastronômico da Lagosta de Maragogi.

Tempo você terá de sobra para se organizar, arrumar as malas e vir se hospedar aqui no Litoral Norte de Alagoas. Vai saborear o que há de melhor em um cardápio elaborado especialmente por 12 restaurantes (um deles em Japaratinga) com descontos de 30% a 50% e, de quebra, mergulhar num pedaço do paraíso aqui na terra: a Costa dos Corais.

A primeira semana do Festival (de 02 a 07 de setembro) conta com uma programação especial. A Arena Gastronômica, montada na Praça de Eventos, orla marítima da cidade, vai reunir alguns dos restaurantes participantes.

Além de provar dos pratos principais e de petiscos feitos a partir da lagosta, o público poderá conferir apresentações artísticas e culturais.

Novidade

A novidade deste ano é a presença do chef Wanderson Medeiros (Picuí), recentemente premiado como melhor chef do Brasil por uma revista nacional. Ele é padrinho do Festival.

“Maragogi, e toda a região da Costa dos Corais, além das suas belezas naturais, é rica em sabores, temperos e cores. O Festival da Lagosta de Maragogi já faz parte do calendário turístico do Estado. Além de divulgar o evento, também vou criar uma receita para o livro do evento que valoriza a culinária de frutos do mar das Alagoas”, disse o Chef Wanderson Medeiros.

O Festival da Lagosta de Maragogi também conta com a participação do Chef Iran Almeida, da cidade de Japaratinga. O evento é uma realização da Costa dos Corais Visitors Convention e Prefeitura de Maragogi, com patrocínio do Sebrae (AL), Banco do Nordeste e Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas.

  • Confira os participantes do 6º Festival Gastronômico da Lagosta de Maragogi:
  1. Pousada Encontro Das Águas – Lagosta Do Encontro, por  Jalência Morais
  2. Restaurante e Estalagem Kaimoana – Lagosta Cachaceira, por Janaína Teixeira
  3. Hotel Areias Belas – Lagosta Areias Belas, por Dani Brito
  4. Restaurante e Receptivo Pontal Do Maragogi – Lagosta à Especiaria, por Duda
  5. Restaurante e Pousada Alto Do Cruzeiro– Lagosta Terra E Mar, por Silvaneide
  6. Restaurante Sabor de Maragogi – Lagosta Peromares, por Alexandre Santos
  7. Hotel Praia Dourada – Lagosta Praieira, por Marcelo Souza
  8. Pastel Expresso – Tortinha expressa de lagosta com creme de abóbora, por Mesulan Pereira
  9. Salinas do Maragogi All Inclusive Resort – Lagostim Salinas (exclusivo para os hospedes), por Amaro da Silva
  10. Restaurante Burgalhau – Lagosta À Bele Meuniere, por  Ivaldo Luna
  11. Temakeria Costa Dos Corais – Sunomake De Lagosta, por Joabe Oliveira

Japaratinga

  1. Companhia da Lagosta – Lagosta Grupo Vila, por Lucivânia Da Silva

Tags:

>Link  

Empresário quer construir shopping em Maragogi
   Severino  Carvalho  │     27 de julho de 2015   │     15:13  │  0

O empresário Robson Rodas revelou, em entrevista à Sucursal Maragogi, da Gazeta de Alagoas, edição de domingo (26), a intenção de construir um shopping center no município, considerado o segundo maior polo hoteleiro de Alagoas. Confira, aqui no blog, a reportagem.

Robson Rodas esteve em Maragogi à procura de terreno onde pretende construir o shopping (Foto: Gazeta de Alagoas)

Robson Rodas esteve em Maragogi à procura de terreno onde pretende construir o shopping (Foto: Gazeta de Alagoas)

GAZETA DE ALAGOAS – Até o dia 25 de agosto, o empresário Robson Rodas espera ter em mãos a pesquisa de viabilidade econômica que tem como objeto a construção de um shopping center em Maragogi, o primeiro do Litoral Norte de Alagoas.

Se tudo transcorrer dentro do previsto, ele e um grupo de investidores esperam iniciar, até o fim de 2016, a execução da obra, que deve ter um investimento inicial da ordem de R$ 20 milhões e gerar cerca de 700 empregos diretos, quando estiver em funcionamento.

“A pesquisa é que vai balizar o tamanho do equipamento, o número de lojas, dentre outros itens. Mas, o que posso dizer é que a construção de um shopping em Maragogi não se trata de um sonho, mas de uma realidade, a exemplo do que aconteceu em Maceió, onde construímos dois empreendimentos, um em 1989 e outro em 2009, e em Arapiraca, onde também construímos um shopping em 2013”, declarou Rodas, com a experiência de quem já investiu neste segmento em Pernambuco, Bahia, Distrito Federal e, mais recentemente, no Amazonas.

O empresário esteve em Maragogi, onde visitou duas áreas à margem da AL-101 Norte que estão sendo sondadas para receber o empreendimento. Uma fica nas proximidades do Fórum Melchiades Lindoso, em frente à subestação da Eletrobras Distribuição Alagoas e o outra, em frente a um posto de combustível.

Um estudo prévio feito pelo empresário aponta que o shopping de Maragogi abrangerá economicamente 15 municípios da região Norte de Alagoas e outros 11 do Litoral e Mata Sul de Pernambuco, totalizando uma população consumidora de mais de 500 mil habitantes. Rodas projeta um shopping com cerca de 90 lojas, três delas sendo âncoras, uma praça de alimentação, cinema com quatro salas de exibição e uma rede de supermercado.

Rodas afirmou que a receptividade do projeto tem sido muito boa, sobretudo por parte do poder público municipal. “Estive reunido com o prefeito Henrique (Peixoto) que se mostrou disposto a colaborar com o que for possível. Sem apoio da prefeitura, não vamos a lugar nenhum. Em Arapiraca, tivemos essa parceria que foi decisiva para a consolidação do projeto”, disse.

Ao ser indagado se não seria um contrassenso falar em investimentos em um ano de estagnação econômica, o empresário afirmou que não construirá nada em 2015. “Esse é um ano perdido em termos de construção. Você não vê uma obra em lugar nenhum. Está tudo parado, mas estamos trabalhando na elaboração da pesquisa e na busca de financiamentos”.

Bem-vindo

Empresários, hoteleiros, comerciantes, políticos… Muitos veem com bons olhos a construção de um shopping center em Maragogi, considerado o segundo maior polo hoteleiro de Alagoas, atrás apenas de Maceió em número de leitos.

“Maragogi tem um fluxo turístico muito grande, uma população flutuante bem significativa, sem contar com os moradores locais e da região. Acredito que será um empreendimento de sucesso”, disse o corretor de imóveis Elanjane Fidélis.

“Maragogi está bem no centro do maior corredor turístico que se forma no Nordeste, entre Maceió e Recife. Um empreendimento desse porte é muito bem-vindo, pois contribuirá com a geração de emprego e renda para o município que é sede e para as cidades do entorno”, observou a presidente do Costa dos Corais Convention & Visitors Bureau (CCC&VB), Vergínia Stodolni.

“Pela experiência do empresário (Robson Rodas), acredito que o empreendimento será viável economicamente. As pessoas não sairão mais para fazer suas compras em Maceió ou no Recife com um bom shopping funcionando aqui”, observou o prefeito de Maragogi, Henrique Peixoto (PSD), que esteve reunido com o investidor há cerca de 15 dias para tratar do assunto.

Tags:

>Link  

Aeroporto de Maragogi ainda passa por estudo preliminar, informa SAC
   Severino  Carvalho  │     20 de julho de 2015   │     17:51  │  0

Área prevista para construção do aeroporto de Maragogi, no Assentamento Junco, encontra-se sem obras (Foto: Severino Carvalho)

Área prevista para a construção do aeroporto de Maragogi, no Assentamento Junco, encontra-se sem obras (Foto: Severino Carvalho)

A construção do Aeroporto Regional Costa Dourada, em Maragogi, Litoral Norte de Alagoas, voltou às discussões depois que a Secretaria de Aviação Civil (SAC) anunciou o investimento de R$ 7,3 bilhões na construção ou reforma de 270 aeródromos em todo o território nacional.

Dentre os aeroportos beneficiados, está o de Maragogi. Mas, essa história não é antiga?

Sim, é antiga! Desde que cheguei por aqui, em 2003, que ouço falar: “As obras do aeroporto de Maragogi vão começar!” E não começaram ainda.

Por enquanto, apenas urubus e outras aves de rapina orbitam o espaço aéreo da área destinada à obra, no Assentamento Junco, distrito de Peroba.

No ano passado, escrevi reportagem mostrando que o projeto não havia decolado, depois de muitas mudanças na configuração original da obra. O novo projeto anunciado pela SAC dependia da elaboração de um estudo de viabilidade técnico-econômico e da resolução de um impasse fundiário com os agricultores do Assentamento Junco, onde o aeroporto deve ser construído. Eles temem perder suas terras.

A novidade agora é que o projeto avançou uma das cinco etapas programadas até ficar pronto. Encontra-se no estágio 2 (Estudo Preliminar), que define o tamanho da pista, do pátio, do terminal e o investimento necessário para isso.

A SAC explica: dos 270 aeroportos contemplados, 255 já existiam. Destes, uns precisam de mais obras do que outros. Por isso, alguns vencem mais rapidamente as etapas necessárias para a entrega das obras.

O blog quis saber em que fase se encontra o projeto de construção do aeroporto de Maragogi e a SAC respondeu através de e-mail.

“Atualmente, o aeródromo encontra na fase de Estudo Preliminar. Após a conclusão do estudo e do anteprojeto é que será conhecido a previsão de investimentos necessários para a melhoria da infraestrutura do aeroporto, ou seja, os detalhes da obra: tamanho do terminal de passageiros, da pista de pouso/decolagem e pátio de aeronaves”, informou a SAC.

O Programa

O programa de aviação regional foi criado em 2012 com o objetivo de conectar o Brasil e levar desenvolvimento e serviços sociais a lugares distantes dos grandes centros – como é o caso da Amazônia Legal. Para isso, a SAC anunciou que vai investir cerca de R$ 7,3 bilhões na construção ou reforma de 270 aeroportos em todo o território nacional.

A ideia é deixar 96% da população a pelo menos 100 quilômetros de um terminal de passageiros. Atualmente, 40 milhões de pessoas estão a uma distância maior que esta de um aeródromo e apenas 77 aeroportos regionais operam voos comerciais com regularidade.

O investimento do programa é oriundo do Fundo Nacional da Aviação Civil (FNAC), composto por taxas e outorgas da aviação, e que só pode ser investido de volta no próprio setor. As contratações das empresas responsáveis pelos estudos e obras são feitos diretamente pelo governo federal e não há repasse de verbas a estados e municípios.

PILARES

O programa de aviação regional é sustentado por três pilares:

  • Infraestrutura: com a reforma ou construção dos aeroportos;
  • Gestão: com o Plano Geral de Outorgas;
  • Subsídios: prevê a diminuição no valor das passagens.

A SAC relata ainda que a etapa de infraestrutura está em fase final de planejamento. “Desde 2012, o governo federal organizou equipes e padronizou procedimentos para os 270 aeroportos regionais que, em breve, devem sair do papel”. Será?

O trade turístico do segundo maior polo hoteleiro do Estado – a Costa dos Corais – aguarda o desenrolar dos próximos capítulos desta novela, que se arrasta desde 2003.

Leia também:

http://gazetawebmaragogi.com/noticias/construcao-do-aeroporto-de-maragogi-nao-decola

Tags:

>Link  

Associação Peixe-Boi completa 6 anos de fundação na Costa dos Corais
   Severino  Carvalho  │     18 de julho de 2015   │     13:23  │  0

Comunidade ribeirinha lucra com o turismo de observação do peixe-boi marinho em Porto de Pedras e São Miguel dos Milagres (Fotos: Carlos Rosa)

Comunidade ribeirinha lucra com o turismo de observação do peixe-boi marinho em Porto de Pedras e São Miguel dos Milagres (Fotos: Carlos Rosa)

A Associação dos Condutores do Turismo de Observação do Peixe-Boi Marinho celebra, neste sábado (18), seis anos de fundação. Associados e parceiros do projeto comemoram a data num coquetel oferecido na sede da instituição, a partir das 16 horas, no povoado de Tatuamunha, em Porto de Pedras, Litoral Norte de Alagoas.

A Associação Peixe-Boi foi criada há seis anos num esforço conjunto entre as comunidades ribeirinhas, o Ministério Público Federal (MPF) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

A instituição possui 51 associados, todos moradores de Porto de Pedras e de São Miguel dos Milagres, que atuam na prática do turismo de base comunitária.

“A criação da associação nos proporcionou a melhoria da qualidade de vida das populações ribeirinhas, através da geração de renda; colaborou também com a preservação do peixe-boi marinho e, consequentemente, de todo o meio ambiente: das áreas de manguezal aos recifes de coral. Nosso trabalho conscientiza ainda quem nos visita. Os turistas saem daqui com outra visão da natureza”, declarou a presidente da Associação Peixe-Boi, Flávia Rêgo.

Sede da Associação Peixe-Boi (Foto: Divulgação)

Sede da Associação Peixe-Boi no dia da inauguração (Foto: Divulgação)

A associação foi criada por meio de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) proposto pelo MPF. Antes disso, a atividade já existia, mas sem nenhum regramento. Falsos guias colocavam em risco os peixes-boi marinhos que habitam Área de Preservação Ambiental (APA) Costa dos Corais, por meio de condutas inadequadas como, por exemplo, tocar o animal.

O ICMBio, então, selecionou e capacitou os moradores locais, que se transformaram em condutores do passeio de observação do peixe-boi. No ano passado, o apresentador Luciano Huck presenteou a Associação Peixe-Boi com a construção de uma moderna sede e divulgou o projeto nacionalmente em seu programa na Rede Globo de Televisão.

Economia

Peixe-boi se aproxima de embarcação e oferece as boas-vindas

Peixe-boi se aproxima de embarcação e oferece as boas-vindas

Numa perfeita simbiose entre homem e animal, os ribeirinhos de Porto de Pedras e São Miguel dos Milagres se utilizam da presença de um bicho rechonchudo e de aparência meiga para lucrar com atividades que vão do turismo de observação ao artesanato.

A atividade econômica regrada, por outro lado, favorece a preservação do mamífero aquático mais ameaçado de extinção no Brasil. Na APA Costa dos Corais, a espécie encontrou o seu refúgio.

A associação possui sede instalada no povoado de Tatuamunha, em Porto de Pedras. Ali, são oferecidos até 10 passeios diários de jangada a remo pelo Rio Tatuamunha até o recinto de reintrodução do peixe-boi. São 70 pessoas por dia que embarcam na aventura, com direito à trilha suspensa pelo vasto manguezal, ao preço de R$ 40 por ingresso.

Serviço

  • Associação Peixe-Boi

Povoado Tatuamunha, Porto de Pedras /AL

Contato: (82) 3298-6247

www.associacaopeixeboi.com.br

Tags:

>Link