Hostel: Maragogi no precinho e no conforto de casa
   Severino  Carvalho  │     2 de abril de 2015   │     17:52  │  2

Solemar convida para o Sol Hostel (Fotos: Severino Carvalho)

Solemar convida para o Sol Hostel Maragogi (Fotos: Severino Carvalho)

A guia de turismo Solemar Vasconcelos sempre teve a casa repleta de amigos e parentes. Com o tempo, os filhos foram crescendo e ganhando o mundo. Restou a casa ampla, cheia de quartos. A partir de 2007, ela passou a receber os colegas que vinham de Maceió e do Recife para estudar Hotelaria em Maragogi e a experiência de acolher a fez despertar para um segmento de hospedagem ainda tímido no Litoral Norte de Alagoas: os Hostels ou albergues.

Foi assim que surgiu o Sol Hostel Maragogi, a 200 metros da praia, um lugar para se sentir em casa com comodidade e a preços reduzidos.

“No meu contato diário com os turistas, eles falam que adoram Maragogi e que gostariam de voltar mais vezes aqui. Dizem que só não retornam com mais frequência porque a hospedagem está, a cada dia mais cara”, relatou Solemar.

Um Hostel se caracteriza, justamente, pelos preços convidativos e tem, cada vez mais, ganhado adeptos em todo o mundo. Em Maragogi, é o terceiro estabelecimento deste tipo a abrir as portas de um ano pra cá.

Quarto coletivo tem camas beliche

Quarto coletivo possui camas do tipo beliche

Grande parte do público frequentador é formado por jovens e mochileiros, por isso, também são conhecidos como “Albergues da Juventude”. O Hostel mais antigo do mundo foi criado em 1912 na cidade alemã de Altena. E, segundo o site Yahoo, ainda oferece os seus serviços para viajantes em busca de aventuras.

A estimativa da Hostelling International, maior rede de hospedagem do mundo, é que existam atualmente mais de 4 mil Hostels espalhados em 70 países, gerando, anualmente,  mais de US$ 1,5 bilhão para a economia global do turismo.

Redes e sites de viagens foram criadas e congregam os adeptos dos albergues pelos quatro cantos do planeta, bem como disponibilizam os meios de hospedagem. Por meio da internet, os hóspedes partilham experiências, destinos, amizades.

E partilhar é, certamente, a palavra-chave de um albergue. Os hóspedes dividem quartos, a cozinha, a sala de estar, de serviço, de lazer. No Sol Hostel Maragogi, há três quartos coletivos e três suítes aos que desejam maior privacidade e querem compartilhar do espaço apenas com a família. “Nos quartos coletivos, dividimos homens e mulheres. Foi uma opção minha”, salientou.

Suíte família tem cama casal e ar-condicionado: maior privacidade

Suíte família tem cama de casal e ar-condicionado: maior privacidade

Os preços das diárias variam de R$ 40, em quatro coletivo com camas beliche e ventilador, a R$ 250 numa suíte com tv de tela plana e ar-condicionado Split. Solemar criou o alguergue construindo um primeiro andar sobre a casa onde sempre morou, na Rua Embaixador Sérgio Vieira de Melo. No térreo, outros três quartos também estão à disposição da clientela.

Conhecida como “Penélope Charmosa”, em função do buggy rosa que conduz garbosamente pelas areias macias e alvas de Maragogi, Solemar oferece passeios turísticos neste tipo de veículo aberto. Por isso, o hóspede pode contratar o serviço no próprio albergue, que dispõe ainda de equipamentos para a prática do Stand Up Paddle (SUP).

Ao leitor que ainda não definiu onde vai se hospedar nesta Semana Santa, está aí uma boa dica. Ainda há disponibilidade de leitos. É só arrumar a mochila e partir!

xxx

Em um hostel, cômodos são compartilhados

 

Serviço

  • Sol Hostel Maragogi – Maragogi, Alagoas
  • Rua Embaixador Sérgio Vieira de Melo, n° 47
  • Contato: (82) 8808-9875 / 9391-2260 / 9662-6322
  • E-mail: solemar_al@hotmail.com

solmaragogi@gmail.com

 

 

 

 

>Link  

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *