Monthly Archives: dezembro 2014

Thammy Miranda curte mais um verão em Maragogi
   Severino  Carvalho  │     29 de dezembro de 2014   │     15:25  │  0

Thammy e Andressa posam para foto sobre jangada no mar de Barra Grande (Foto: rede social)

Thammy e Andressa posam para foto sobre jangada no mar de Barra Grande (Foto: rede social)

Quem está em Maragogi, no Litoral Norte de Alagoas, para curtir mais um verão é a atriz Thammy Miranda. Acompanhada da namorada, a assistente de palco Andressa Ferreira, ela aproveita o mar de Barra Grande, onde está hospedada na casa de um amigo.

Nesta segunda-feira (29), as duas postaram imagens via Instagram numa jangada, em meio ao mar azul de Barra Grande. Se recuperando de uma mamoplastia – cirurgia estética nos seios – Thammy usou uma camisa para se proteger do sol e poder posar para as fotos.

IMG_1997

No ano passado, eles estiveram em Maragogi (Foto: Carlos Rosa / GA)

O mais incrível é que é sem filtro! Amo você, Andressa. PS: Dr Lecy, lindão, o sol foi só para a foto, tá? E estou de camiseta. PQP, não posso tomar sol de jeito nenhum que meu médico me mata“, escreveu.

No verão passado, Thammy esteve em Maragogi, onde visitou as piscinas naturais, a convite do empresário Betinho Laranjeiras. O município do Litoral Norte de Alagoas é um dos destinos turísticos prediletos da mãe dela, a cantora Gretchen.

Thammy deve passar o réveillon em Alagoas. O rumo aponta para o Litoral Sul.

Tags:

>Link  

Alta estação eleva ocupação de leitos na Costa dos Corais
   Severino  Carvalho  │     22 de dezembro de 2014   │     19:43  │  0

Sim, o verão chegou com suas cores radiantes e temperaturas exacerbadas. É nesse período que as cidades litorâneas também se movimentam em outro ritmo, frenético; recebem visitantes em busca de um pedaço de mar para se refrescar e chamar de seu. Feito fotossíntese, a economia absorve todo esse calor e também floresce para alegria do trade turístico.

Confira reportagem publicada na Gazeta de Alagoas, edição deste domingo (21), sobre a expectativa do setor para a temporada 2014 / 2015 e por que os turistas escolheram este pedaço de litoral abençoado por Deus e bonito por natureza. Boa leitura!

Maragogi, Litoral Norte: abençoado por Deus e bonito por natureza (Fotos: Carlos Rosa)

Maragogi, Litoral Norte de Alagoas: abençoado por Deus e bonito por natureza (Fotos: Carlos Rosa)

A taxa de ocupação dos leitos em hotéis e pousadas durante a temporada turística 2014 / 2015 será de 80% em Maragogi e Japaratinga, no Litoral Norte de Alagoas. A informação é do Costa dos Corais Convention & Visitors Bureau (CCC&VB). A alta estação, a exemplo dos anos anteriores, deve atingir as expectativas do trade turístico.

“Nas festividades de final de ano, como de costume, estamos com 100% de ocupação para o réveillon. Já para o Natal, os hotéis e pousadas apresentam uma ótima ocupação, em torno de 90%, existindo disponibilidade de leitos em alguns meios de hospedagem”, citou o diretor executivo do CCC&VB, Leandro Lira.

De acordo com ele, a previsão para o mês de janeiro de 2015 é de uma taxa de ocupação girando em torno de 80% para os hotéis. Porém, os dois resorts instalados em Maragogi (Grand Oca e Salinas) já apresentam 100% de ocupação para o período.

“O brasileiro está se programando cada vez mais cedo para viajar e nós percebemos isso. Como no ano passado, fechamos as vendas para a temporada muito cedo, ainda em setembro. Estamos com 100% de ocupação desde 15 de novembro até fevereiro (carnaval) do próximo ano”, revelou o gerente geral do Salinas do Maragogi All Inclusive Resort, Ricardo Almeida.

Com 236 apartamentos e cerca de 400 funcionários, o Salinas ficou em 15º lugar no prêmio Travelers’ Choice 2014 All Inclusive, que premia os melhores estabelecimentos do ano com alimentos e bebidas inclusos na hospedagem. Foi o único hotel brasileiro a figurar na lista dos 25 melhores do mundo nesta categoria, divulgada em 18 de novembro pelo Trip Advisor, maior site de viagens do planeta.

“A consolidação do destino Costa dos Corais é real. Hoje temos um nome forte no cenário nacional. Só para você ter uma ideia, existe, atualmente, uma demanda reprimida de 30% de turistas que desejam vir se hospedar no destino, mas que não encontram mais vagas nos três maiores hotéis que trabalham com as operadoras de viagem”, revelou a presidente do CCC&VB, Vergínia Stodolni.

Terceiro maior hotel de Maragogi com 132 apartamentos, o Praia Dourada também vai lotar nas festividades de Natal e réveillon. “Fechamos a venda de nosso réveillon no final de setembro. Para o Natal, apesar de ser uma data em que as pessoas costumam passar em casa, esse ano a gente conseguiu encher também”, festejou o proprietário do Praia Dourada, Hanna Daher, que espera passar toda a temporada com 90% dos leitos ocupados, em média.

Pequenos e médios, mas em alta

Maragogi 2

Costa dos Corais, Maragogi

Engana-se quem pensa que só os grandes hotéis devem faturar nesta temporada. De acordo com o CCC&VB, a ocupação dos leitos em pequenos e médios meios de hospedagem vem crescendo nos últimos anos e deve se consolidar.

“A previsão para janeiro já está em torno de 70%. Nos comparativos em relação a 2013, que fazemos mensalmente, o crescimento dos pequenos meios de hospedagem varia de 5% a 10%, uma ótima marca levando em consideração a implantação de novas pousadas na região”, avaliou Leandro Lira.

“No passado, depois da Semana Santa, a ocupação caía drasticamente. Donos de pousadas davam férias coletivas a seus funcionários e não havia um pé de pessoa na região. Hoje é diferente, não tem mais isso. Os pequenos e médios meios de hospedagem têm uma boa ocupação durante todo o ano”, acrescentou Vergínia.

A boa ocupação de leitos em hotéis e pousadas movimenta toda a economia das cidades instaladas no Litoral Norte de Alagoas. Bares, restaurantes, lojas de artesanato; o comércio em geral eleva as vendas em virtude da presença dos turistas.

O movimento de visitantes também é intenso por causa das piscinas naturais, principais atrativos turísticos de Maragogi e que também estão polvilhadas pela costa de Japaratinga, Porto de Pedras, São Miguel dos Milagres e Passo do Camaragibe. Essas formações recifais, a alguns quilômetros da costa, estão inseridas na Área de Proteção Ambiental (APA) Costa dos Corais, maior unidade de conservação marinha do País.

A turista gaúcha Terezinha Artuzi, professora aposentada e moradora de Porto Alegre, disse que assistiu a uma reportagem veiculada no Jornal Hoje da Rede Globo de Televisão sobre as piscinas naturais de Maragogi e veio conhecer de perto as maravilhas marinhas. “Eu vi pela televisão quando a gente já tinha planejado a viagem, o que só reforçou o desejo de vir”, afirmou Terezinha, que não largava a cuia de chimarrão.

“O mar de lá é escuro, da cor de chocolate; aqui é cristalino, uma beleza”, comparou a filha dela, Vanessa Artuzi, na companhia do esposo e do pai. De Salvador, na Bahia, veio o casal Luís Cláudio e Rita Sousa. As belezas naturais de Maragogi também os atraíram. Chegaram ao destino da Costa dos Corais na última sexta-feira e por aqui permanecerão hospedados até o dia 26.

“Essa é a primeira vez em Maragogi. Viemos conhecer esse lugar tão falado por nossos amigos e visitar as piscinas naturais”, entregou Luís Cláudio, que é gerente de Recursos Humanos em Salvador.

Japaratinga e Milagres

Dono de uma pousada no vizinho município de Japaratinga, João Nogueira explica que o trabalho de divulgação feito pelo CCC&VB tem trazido bons resultados em termos de ocupação dos leitos. Ele está otimista com a temporada.

“A gente tem, apesar da crise que o País está enfrentando e bate à nossa porta, alguns indicativos positivos como a alta do dólar que acaba favorecendo o turismo interno. Tivemos recentemente uma matéria no Jornal Hoje da Rede Globo e o reflexo disso é muito imediato: as pessoas começam a ligar, a pesquisar na internet, a fazer as reservas. Então, isso cria uma expectativa extremamente boa”, relatou Nogueira.

“A temporada está bem movimentada. Como diz por aqui: está tudo topado”, brinca Tsachi Greenhut, dono de pousada em São Miguel dos Milagres, município integrante da Rota Ecológica, juntamente com Porto de Pedras e São Miguel dos Milagres, cujos estabelecimentos hoteleiros se destacam por serem de baixa densidade – poucas unidades habitacionais – e disponibilizarem aos hóspedes um atendimento exclusivo.

Aluguel de imóveis

Embarcações ancoradas no mar de Maragogi aguardam momento de embarque às piscinas naturais

Embarcações ancoradas no mar de Maragogi, ao fundo, aguardam momento de embarque às piscinas naturais

Durante a alta estação, o aluguel de imóveis para veraneio também registra alta no Litoral Norte alagoano.

“A procura por imóveis está grande e começou em setembro. Para o réveillon, tenho poucas unidades à disposição”, comemora o corretor de imóveis, Luiz Carlos Lira, instalado em Maragogi.

O turismo faz girar a roda da economia e nesse carrossel estão inseridos artesãos, a exemplo de seu Benjamin Marques, e o gerente de bar, Edvaldo José da Silva, fixados na orla marítima de Maragogi.

Segundo eles, já é possível perceber um aumento do fluxo turístico na cidade desde o último dia 15 o que só deve se elevar ainda mais nos próximos dias.

“Não só os turistas e os veranistas vêm para a orla. Os nativos, os próprios moradores da cidade, se animam e vêm também com as suas famílias passear”, observou o gerente Edvaldo José.

O vaivém de visitantes na orla de Maragogi acaba atraindo vendedores e artesãos de outras cidades, a exemplo de Caruaru, no Agreste pernambucano. Benjamin Marques critica a falta de ordenamento do setor e a concorrência desleal praticada por quem vem de fora.

“Eles só vêm aqui na temporada, ganham dinheiro e vão embora. A gente que é nativo fica roendo o osso no período das vacas magras que é a baixa estação. No mais, trazem um artesanato que não é daqui”, lamentou ele.

>Link  

Campanha contra o trabalho infantil de Maragogi é selecionada pelo Mtur
   Severino  Carvalho  │     17 de dezembro de 2014   │     12:28  │  0

campanhaA campanha “Maragogi em Defesa da Criança e do Adolescente”, lançada em 2013, está entre as dez experiências de sucesso em gestão e inovação no turismo. O projeto, que mostra ao visitante a importância de prevenir e enfrentar a exploração do trabalho infantil na indústria de viagens e turismo, foi selecionado para compor a publicação Boas Práticas no Turismo, lançada na terça-feira (16), em Brasília (DF), pelo ministro do Turismo, Vinicius Lages, e o presidente do Sebrae, Luiz Barretto.

Um dos resultados mais relevantes do projeto é o aumento do retorno de crianças e adolescentes às escolas e aos programas sociais no município, já que boa parte deles efetivamente deixou de trabalhar na confecção de artesanatos com palha de coqueiro. O conceito da campanha foi criado em parceria entre as secretarias municipais de Turismo, Assistência Social e do Meio Ambiente, com o apoio do Conselho Tutelar, da Guarda Municipal e da Polícia Militar da região.

De acordo com a secretária municipal de turismo, Mariana Gorenstein, a campanha alcançou a meta de reduzir em 95% o trabalho infantil no setor. Além disso, a prefeitura continua investindo em ações de fiscalização, o que evita o retorno dessas crianças ao trabalho. O lema do programa, “Proteger é o nosso maior desafio”, revelou-se uma mensagem eficaz junto aos turistas, que deixaram de comprar peças cuja mão-de-obra de trabalho era infantil.

“Os visitantes às vezes têm a visão de que comprando eles estão ajudando, incentivando as crianças a sair dessa condição, mas na verdade estão incentivando a sua permanência. Por isso informação é fundamental”, afirmou Mariana. A experiência alagoana foi mapeada em pesquisa do Índice de Competitividade do Turismo Nacional, realizada pela Fundação Getúlio Vargas a pedido do MTur, para acompanhar a evolução da atividade turística em 65 destinos de todo o país.

O trabalho de campo foi realizado entre março e junho deste ano. Ao todo, 11 projetos, em mais de 80 analisados, se destacaram pela inovação em um produto, processo, método de marketing ou organizacional. O objetivo é identificar e divulgar as boas ideias desenvolvidas por destinos brasileiros, a fim de multiplicar essas iniciativas.

Com informações da Secom Maragogi

>Link  

Piscinas naturais de Maragogi: mais proteção, menos ganância
   Severino  Carvalho  │     12 de dezembro de 2014   │     19:57  │  0

Piscinas naturais de Maragogi (Foto: Severino Carvalho)

Piscinas naturais de Maragogi (Foto: Severino Carvalho)

Mais uma vez as piscinas naturais de Maragogi foram destaque no quadro “Tô de Folga”, apresentado pelo Jornal Hoje, da rede Globo de Televisão, nesta sexta-feira (12). Produzida pela TV Gazeta de Alagoas – uma de suas afiliadas -, a reportagem mostrou as belezas dessas formações recifais localizadas a cerca de 6 km da costa, e lembrou que todo esse paraíso é fiscalizado pelos órgãos ambientais.

As piscinas naturais de Maragogi começaram a ser exploradas economicamente no início da década de 1990. Hoje são os principais atrativos turísticos do lugar. Também conhecidas como Galés, os frágeis ambientes recifais foram impactados pelo turismo desordenado por anos a fio.

Tentativas de botar “ordem na casa” ocorreram a partir de 1997 com a criação do projeto Recifes Costeiros, em parceria com órgãos municipais e estaduais e a chancela, à época, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Termos de Ajustamento de Conduta (TACs) foram firmados, mas, nem sempre, cumpridos.

Essas tentativas de ordenamento, aliás, sempre contaram com a resistência de parte do empresariado, preocupado apenas com o lucro momentâneo. Faltava um arcabouço jurídico.

A maré começou a virar com a criação, em 2007, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) que, cinco anos depois, instituiria o Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental (APA) Costa dos Corais, maior unidade de conservação marinha do País. O plano, aliás, veio com atraso de 15 anos. Mas veio!

A Unidade possui 150 km de extensão; vai de Paripueira (AL) a Rio Formoso (PE). As piscinas naturais estão inseridas nela. É parte dessa imensa biodiversidade marinha comparada, em terra, com a mata atlântica.

Construído democraticamente, com a participação popular, o Plano de Manejo estabeleceu o ordenamento jurídico que faltava à APA Costa dos Corais; fixou normas ambientais e criou zonas específicas para a pesca, a preservação, a pesquisa e a exploração turística, na busca de conciliar a conservação ambiental com uso sustentável dos recursos naturais.

É verdade que ainda falta muito. O número de fiscais é insuficiente, há carência de um trabalho educativo mais amplo, entretanto, uma coisa não podemos negar: o ordenamento nas piscinas naturais melhorou. E muito.

Lembro de ir até as Galés e me deparar com quase duas mil pessoas confinadas entre os corais que, além de sofrerem com o pisoteio, eram massacrados pelas âncoras das embarcações que levavam os turistas até lá. Sem falar da pesca predatória, da ração canina ofertada aos peixes para atrai-los, uma infinidade de crimes ambientais.

O número de visitantes foi reduzido drasticamente, minimizando os impactos sobre a fauna e a flora marinhas; multas pesadas foram lavradas, embarcações e outros equipamentos, apreendidos. Aos poucos, no ritmo do plácido mar de Maragogi, a consciência dos que frequentam e exploram as piscinas naturais vai mudando. Protegê-las não é uma missão apenas dos órgãos ambientais, mas de todos nós, cidadãos!

Link para a matéria do Jornal Hoje:

http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2014/12/maragogi-tem-maior-area-de-protecao-maritima-do-brasil.html?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=jh

 

 

>Link