Turismo comunitário é tendência mundial, afirma pesquisador
   Severino  Carvalho  │     7 de janeiro de 2014   │     19:15  │  3

Encontro discutiu o turismo de base em comunitária no IFPE de Barreiros (Fotos: Severino Carvalho)

Encontro discutiu o turismo de base em comunitária no IFPE de Barreiros (Fotos: Severino Carvalho)

Educador e pesquisador, Alberto Viana foi um dos palestrantes do 1º Encontro de Comunidades Empreendedoras do Turismo de Base Comunitária (Encetuc) realizado em Barreiros (PE). Segundo ele, o turismo comunitário é uma tendência mundial e está presente em todos os continentes.

“O universo do turismo é extremamente amplo, não existe só o turismo empresarial. As pessoas estão nesta sede da humanização, de serem solidárias e de conhecer lugares que ainda não foram invadidos pelo turismo de massa”, observou Viana.

O pesquisador revela que a maioria dos usuários do turismo de base comunitário no Brasil ainda é formada por estrangeiros. “O turista nacional está começando a despertar para esta modalidade, embora muitos estudantes, professores e pesquisadores brasileiros já fechem grupos tanto para comunidades rurais como urbanas que oferecem o turismo comunitário”, destacou Viana.

De acordo com ele, não existem dados oficiais que demonstrem a dimensão do turismo comunitário no Brasil. Isso se deve ao fato desta atividade ainda ser marginalizada e desprovida de políticas públicas que a incentivem.

“O dado que a gente tem é de 2008. O Ministério do Turismo lançou edital esperando receber pouco mais de 100 projetos desta natureza e recebeu mais de 500 demandas. Acreditamos que esse número seja um pouco maior”, afirmou Viana.

Ele é analista da Superintendência Regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) da Bahia e supervisiona convênios que tratam do turismo rural.

Viana coordenou uma pesquisa que identificou a existência 109 assentamentos rurais no Brasil que discutiam a proposta do turismo comunitário. “Uma boa parte já recebia visitantes e outra demonstrava interesse”, revelou o pesquisador.

Maragogi

Educador e pesquisador, Viana também é analista da Superintendência Regional do Incra na Bahia

Educador e pesquisador, Viana também é analista da Superintendência Regional do Incra na Bahia

O agricultor Geraldo Cândido, do Assentamento Água Fria, em Maragogi (AL), também participou do evento. Na oportunidade, ele relatou a experiência exitosa da Trilha do Visgueiro.

O passeio, em meio a uma reserva de mata atlântica, foi criado em 2004 pela Cooperativa dos Pequenos Agricultores Organizados (Coopeagro) e se tornou um dos 25 roteiros contemplados com investimentos pelo Ministério do Turismo (Mtur) para receber turistas durante a Copa do Mundo de Futebol em 2014, por meio do projeto Talentos do Brasil Rural. A escolha foi feita por meio de chamamento público.

Para o professor do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), Plínio Guimarães, a Trilha do Visgueiro, em Maragogi (AL), é um exemplo de atividade turística de base comunitária.

“Embora nunca tenham utilizado esse termo – eles usam o termo do turismo rural – se você for observar, vê que o que está sendo desenvolvido lá é o turismo de base comunitária. Nasce deles, o lucro fica lá e a atividade é de baixo impacto”, salientou o professor.

Outros relatos de experiências acerca do turismo de base comunitária foram apresentados durante o 1º Encetuc, através de representantes dos assentamentos Coqueirinho, em Fortim (CE), e Bom Jardim, em Barreiros (PE).

O encontro surgiu a partir do programa de ensino, pesquisa e extensão para o fomento ao empreendedorismo do IFPE, informou Guimarães. O objetivo é buscar o desenvolvimento territorial em assentamentos da reforma agrária, sobretudo em Bom Jardim.

Durante o Encetuc, o Assentamento Bom Jardim recebeu um grupo de estudantes da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Eles conheceram a casa de farinha e participaram de três trilhas em meio a remanescentes de mata atlântica, conservados dentro do núcleo da reforma agrária.

Uma programação foi montada pelas famílias com atividades que duraram todo o dia. No futuro, elas planejam a instalação de uma hospedaria dentro do assentamento.

Tags:,

>Link  

COMENTÁRIOS
3

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Geraldo Vitório Alves

    Grande notícia ou grande fato,a filha da Gretchem representa ok.Meu grande repórter vamos focar o presente de grego que o governo quer dá os alagoanos com a instalação da Usina Núclear em Piranha,qual a razão qual o motivo do istaleiro Eisa que não saí do papel.gva-Maceió

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *