Bicas do Boqueirão encantam turistas desde a primeira metade do século 20
   Severino  Carvalho  │     5 de julho de 2013   │     11:33  │  1

Bica de São Thomé fica no povoado de Barreiras do Boqueirão, Japaratinga. Foto: www.japaratinga.tur.br

Bica de São Thomé fica no povoado de Barreiras do Boqueirão, Japaratinga. Foto: www.japaratinga.tur.br

E lá se foram as minhas férias. Retorno com as energias renovadas, quatro quilos mais gordo – ainda bem que todo gordinho é feliz – e com disposição para manter o blog sempre atualizado. Nesse período de descanso também aproveitei para pôr em dia a leitura. Recebi da secretária de Estado do Turismo a edição fac-símile do Vade-mecuum do Turista em Alagoas, publicada originalmente em 1937 e relançada pela Imprensa Oficial Graciliano Ramos.

Importante fonte de pesquisa, a obra do professor, romancista, poeta, jornalista e historiador Francisco Henrique Moreno Brandão mostra o contexto turístico e cultural, bem como descreve as características geográficas, arquitetônicas e literárias daquele período.

“As informações, contidas no documento, serão fonte de consulta com vistas a munir em dados que possam subsidiar um processo de planejamento, já que nos últimos anos estamos despontando entre os principais destinos do Brasil”, escreveu a secretária de Estado do Turismo, Danielle Novis, apresentando a publicação.

Na página 18, sob o título Lugares Pitorescos, o Litoral Norte de Alagoas é retratado pelo autor. O que encantou Moreno, porém, não foram as praias semi-desertas da Costa dos Corais que hoje atraem turistas do Brasil e do mundo, mas o banho de bica em Barreiras do Boqueirão, Japaratinga.

O local é descrito como “Biquinha de São Thomé”, cujo povoado em 1937 ainda pertencia a Maragogy, assim mesmo, grafado com “Y”, conforme a língua culta e rebuscada da época.

“No município de Maragogy se encontra a Biquinha de São Thomé, que flúe de um dos flancos do monte sobranceiro a praia de Boqueirão. A Biquinha de S. Thomé tem uma área de 25 metros quadrados e uma profundidade de 50 a 60 centímetros (SIC)”, descreveu Moreno.

Na atualidade, a Bica do Boqueirão já não preserva suas características naturais. Administrações municipais desastrosas – descompromissadas com a atividade turística – transformaram o local num verdadeiro banheiro público ou seria lavanderia pública? Já presenciei ali mulheres lavando fardos de roupas.

A nova gestão municipal, que vem ganhando elogios na condução das políticas públicas voltadas ao turismo, tem aí um desafio a arrostar: devolver o encanto e o prazer de se banhar nas águas minerais e sagradas de São Thomé. Amém!

Tags:

>Link  

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Maria Teresa Calado

    Sou amante desse lugar. As anergias se renovam, é tudo muito lindo…a NATUREZA É A OBRA PRIMA NA REGIÃO. Val a pena se entregar a esse encanto das MÃOS DE DEUS.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *