A polêmica está nas areias: Plano de Manejo proíbe circulação de veículos
   Severino  Carvalho  │     15 de fevereiro de 2013   │     14:04  │  1

Passeio acontece há quase duas décadas no litoral de Maragogi (Foto Carlos Rosa)

Um dos mais requisitados passeios turísticos realizados em Maragogi está com os dias contados. Em vigor desde 4 de fevereiro, o plano de manejo da Área de Proteção Ambiental Costa dos Corais (APACC) proíbe, nas zonas de praia, a circulação de veículos automotores em toda a extensão de 120 km da Unidade de Conservação Marinha (UCM).

Dessa forma, o veto põe fim também ao passeio turístico feito por meio de buggys. A atividade é explorada, há cerca de 20 anos, por 54 profissionais ligados à Associação dos Bugueiros de Maragogi (ABM). Trata-se da segunda atração mais procurada pelos que chegam à cidade turística, depois das piscinas naturais.

“O buggy está proibido assim como todo e qualquer tipo de veículo. Apenas veículos oficiais a serviço terão acesso livre. As faixas de praia, onde ocorre influência marinha, são áreas susceptíveis a diversas dinâmicas. A circulação de veículos causa, além de poluição, compactação de solo, degradação ambiental e risco de atropelamento aos banhistas. Ali também ocorre a desova de tartarugas”, destacou o chefe da APACC, Paulo Roberto Corrêa.

Ele não informou quando serão intensificadas as fiscalizações para coibir a circulação de veículos nas praias da APACC, mas revelou que os esforços de inspeção ocorrerão, sempre, em parceria com as forças policiais.

“Vale salientar que no Estado de Pernambuco já existe uma lei estadual proibindo o tráfego de veículos. Em Alagoas, já existem alguns municípios que adotaram a proibição como lei municipal”, destacou Paulo Roberto.

O veto à circulação de veículos está contido nas normas relacionadas às zonas estabelecidas como de praia, que vai da linha de preamar média até a linha de baixa mar média (área de fluxo e refluxo de maré). Ela se inicia na foz do Rio Meirin (Maceió/AL) seguindo pela linha litorânea até a rio Formoso, na praia dos Carneiros (Tamandaré/PE). Apresenta uma extensão aproximada de 120Km.

Para os que trabalham com o passeio turístico de buggy, a proibição significa o fim da atividade existente há cerca de 20 anos e que envolve diretamente 54 pessoas. “O que vamos fazer com essas 54 famílias que dependem exclusivamente deste serviço? Temos que chegar a um consenso para evitar um prejuízo social enorme”, afirmou Solemar Vasconcelos, que trabalha há 19 anos nesta atividade.

Ela lamentou que condomínios e estabelecimentos hoteleiros tenham interditado uma antiga rodovia de chão batido que existia de Maragogi ao distrito de Peroba, passando pelo povoado de Ponta de Mangue. A via era litorânea, mas não avançava para a praia. “As construções fecharam esses acessos. Se forem abertos, poderemos fazer o passeio sem transitar pela faixa de praia”, observou Solemar.

Tags:

>Link  

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. João

    Muito boa essa proibição. E que bom que veio antes que alguma criança ou turista fossem atropelados e mortos. Quem quiser aproveitar a areia da praia, que o faça com os pés, ou a cavalo. Chega de abusos, há outras rotas para os bugres, motos, quadriciclos, caminhonetes e carros, que infernizam a vida dos banhistas e prejudicam a nnatureza.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *