Comida, diversão e arte
   Severino  Carvalho  │     7 de setembro de 2012   │     12:54  │  0

A lagosta já está na mesa e o festival bombando, como dizem por aí.  A 3a edição do Festival Gastronômico da Lagosta de Maragogi e Japaratinga foi aberta oficialmente na noite da quarta-feira (5) com um coquetel servido no Salinas do Maragogi Resort. O evento segue até o próximo dia 15 com o melhor da culinária praiana aliada à alta gastronomia internacional. E o melhor, a preços convidativos. Quinze estabelecimentos filiados à Associação do Trade Turístico de Maragogi e Japaratinga (Ahmaja), promotora do festival, disponibilizam pratos à base de lagosta com descontos de 40%.

Coquetel de lançamento aconteceu no Salinas do Maragogi Resort

E como “a gente não quer só comida, a gente quer diversão e arte”, uma vasta programação cultural foi montada para o deleite dos visitantes e moradores, na Praça Santos Antônio. Sob o olhar empedernido da estátua do padroeiro de Maragogi, haverá apresentações musicais, teatrais, exibição de filmes, artesanato e… Mais comida! O blog conversou com quatro chefs que vão expor aqui um pouco dos segredos de seus pratos, desenvolvidos especialmente para o Festival da Lagosta. Confira.

Mara Cardoso

Lagosta Pé de Serra

Chef Mara Cardoso do Restaurante da Mara / Pousada Camurim Grande (Maragogi)

“Esse prato é bem raiz, é bem Nordeste! Pensei num prato que tivesse todos os componentes regionais: a lagosta, que já é a poderosa da festa, e misturei com os ingredientes regionais: a batata doce com milho verde, o queijo coalho, a jaca, que quase ninguém explora, e a castanha de caju. Esse prato surgiu na época do São João, por isso a denominação ‘Lagosta Pé de Serra’. Isso porque fiz a composição em que a lagosta representa a sanfona; o purê de batata doce, o milho verde e o queijo coalho formam o triangulo e o arroz de jaca com castanha de caju, a zabumba”.

A lagosta com os sabores da África e do Brasil

Lagosta Antônio Bitingui

Chef Ivonaldo Pereira, do Restaurante Mama Pereira (Japaratinga)

“Nosso prato vem da raiz africana, do meu antepassado, tio-avô, que é um prato natural: lagosta pura (filé) com leite de coco e os temperos naturais cultivados no quintal de casa, junto com a mandioca (macaxeira) que é pra dar o complemento. Custa R$ 67 e serve duas pessoas”.

 

 

 

A mistura das cozinhas nacional e internacional

Lagosta Al Concha y Toro

Chef Iran Cavalcante, do Restaurante Companhia da Lagosta (Japaratinga) 

“Esse ano viajei para a Europa e tive uma ideia bacana, unir a regionalidade com um toque da cozinha internacional. Dessa forma, nasceu a Lagosta Al Concha y Toro.

 

 

 

 

 

 

A lagosta é servida com tagliatelle, “massa caseira”

Aragosta alla grilia e salsa di champagne
Chef Inalda Rafaela Lins, do Restaurante Tuyn / Pousada Boutique Praiagogi (Maragogi)

“O prato que elaboramos na pousada Praiagogi é uma massa caseira, que eu mesma faço, uma massa fresca, um tagliatelle, com molho de champanhe e lagosta fresca, aqui mesmo de Maragogi. Ela vem grelhada, temperada com sal e pimenta do reino. Trata-se de um prato muito bom, finalizado com molho de cebolinha e champanhe”.

 

 

 

O roteiro completo do festival da lagosta, o leitor encontra no site:

www.festivaldalagosta.com.br

Tags:

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *